OS  FUNDADORES

 

COMO  NASCEU  “A A.I.A.A.” ?

 

A ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL AMIGOS DE ANGOLA - A.I.A.A., foi constituída no dia 27 de Novembro de 2000, na Cidade de Castelo Branco, por Escritura Pública Notarial, elaborada pela Senhora Ajudante Ana Paula C. de Barros, efectuada no Cartório Notarial daquela cidade, sendo Notária a Exma. Senhora Drª. MARIA MANUELA ROMÃO DE SEABRA CASTEL-BRANCO, e foi a mesma subscrita pelos seus Fundadores:

Eng. Geómetra Carlos Caldeira de Victória-Pereira (Presidente da Direcção); Eng. Agrónomo/Paisagista Manuel Maria Caldeira de Potes Cordovil (Vice-Presidente da Direcção) e, Dr. José Carlos Rodrigues Marques (Presidente da Assembleia Geral).

 

HISTORIAL

 

A Associação Internacional Amigos de Angola, resultou da evolução dum Projecto anterior, congénere a este, idealizado pelos Fundadores Eng. Carlos Caldeira de Victória-Pereira e Eng. Manuel Maria Caldeira de Potes Cordovil com os mesmos objectivos básicos desta Associação, em 20/02/96 através de uma Comissão Instaladora/Fundadora, como então foi designada, alargada a outros elementos a seguir referidos.

Designava-se então a Associação a criar – “L.E.P”., de que reproduzimos parte do 1º documento então assinado:

 

"L. E. P."

LIGA PARA O INTERCÂMBIO E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO - SÓCIO - CULTURAL DOS POVOS DE EXPRESSÃO PORTUGUESA

 

A "L.E.P." é uma Associação apolítica, e arreligiosa, de caracter universalista, entre os Povos de expressão portuguesa, sem fins lucrativos, cujos objectivos principais visam:

 

- A dignificação da pessoa humana no respeito pelos princípios morais e tradicionais de cada Povo, sem olhar à raça, sexo, credo religioso ou ideologia;

 

- A integração das pessoas deslocadas das suas Regiões, quando em trabalho ou a viver noutra Região;

 

- O desenvolvimento progressivo, profissional, cultural e económico das comunidades de expressão portuguesa,  onde quer que estejam, tendo em conta as suas raízes, as potencialidades das Regiões onde se encontrem e as capacidades pessoais de cada um;

 

- O desenvolvimento inter-regional, de forma equilibrada e rentável, que incentive o intercâmbio, por forma a estabelecer uma complementaridade de produção e uma melhoria das condições de vida das populações, dentro de cada país e/ou entre os países envolvidos;

 

- A defesa, protecção, recuperação e difusão do património, natural, cultural e artístico de cada Região e População.

 

Os objectivos inerentes da "L.E.P.", de maior amplitude permitem:

 

- A divulgação da língua portuguesa, como factor de formação, união e entendimento entre os Povos de expressão portuguesa;

 

- A divulgação dos dialectos regionais, como cultura geral;

 

- O intercâmbio a nível geral de empregos com estabilidade nos mercados de trabalho;

 

- O intercâmbio pessoal e colectivo, inter-empresarial, com interesses correlacionados ou complementares;

 

- A criação de Núcleos Regionais da "L.E.P.", federados entre si, a nível nacional e confederados a nível internacional, para a difusão e implementação dos seus objectivos.

 

- COMISSÃO FUNDADORA / INSTALADORA DA "L.E.P." -

 

Fazem parte da COMISSÃO FUNDADORA da "L.E.P." os seguintes elementos:

 

- CARLOS CALDEIRA DE VICTÓRIA PEREIRA - Eng. Geómetra, natural de Angola;

- MANUEL MARIA CALDEIRA DE POTES CORDOVIL - Eng. Agro./Paisagista, natural de Évora;

- FERNANDO PERESTRELO VIEIRA - Empresário, nat. de Cabinda – Angola, falecido em 05/02/2001;

- ANTÓNIO MANUEL ILHÉU MERCA - Empresário, natural das Alcáçovas - Portugal;

 

Esta Comissão Fundadora tem por missão:

- Elaborar os ESTATUTOS;

- Elaborar a DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS.

 

* * * * * * * * * * * * * * * * **

 

Mais tarde, já em 04/10/99 o Projecto “L.E.P.” sofreu uma evolução e passou a ser designado por “A.U.P.A.” de que a seguir transcrevemos parte do seu 1º documento:

 

"ASSOCIAÇÃO  DOS  AMIGOS  DE  ANGOLA"

ALIANÇA  UNIVERSAL  PATRIÓTICA  ANGOLANA

 

“ A.U.P.A. “

 

CAPÍTULO - I

PRINCÍPIOS  GERAIS

 

A “A.U.P.A..” é uma Associação apolítica, e arreligiosa, de caracter universalista, entre os angolanos e portugueses que viveram em Angola durante a ocupação de Portugal, sem fins lucrativos, cujos objectivos principais visam:

 

-         A dignificação da pessoa humana no respeito pelos princípios morais e tradicionais de cada Povo, sem olhar à raça, sexo, credo religioso ou ideologia;

 

-         A integração das pessoas deslocadas das suas Regiões, quando em trabalho ou a viver noutra Região ou País;

- O desenvolvimento progressivo, profissional, cultural e económico das comunidades oriundas de Angola e de todos os que fizeram de Angola a sua “segunda Pátria”, onde quer que estejam, tendo em conta as suas raízes e as capacidades pessoais de cada um;

- A defesa, protecção, recuperação e difusão do património, natural, cultural e artístico de cada Região e da respectiva População.

 

Os objectivos inerentes da “A.U.P.A.”, de maior amplitude permitem:

 

- A divulgação dialectos regionais angolanos, como cultura geral;

- O intercâmbio a nível geral de empregos com estabilidade nos mercados de trabalho;

- O intercâmbio pessoal e colectivo, inter-empresarial, com interesses correlacio-nados ou complementares;

- A criação de Núcleos Regionais da “A.U.P.A..”, federados entre si, a nível nacional e confederados a nível internacional, para a difusão e implementação dos seus objectivos.

 

CAPÍTULO – II

 

COMISSÃO  FUNDADORA / INSTALADORA DA "A.U.P.A."

 

Fazem parte da COMISSÃO FUNDADORA da "A.U.P.A." os seguintes elementos:

 

- CARLOS CALDEIRA DE VICTÓRIA PEREIRA - Eng. Geómetra, natural de Angola;

- MANUEL MARIA CALDEIRA DE POTES CORDOVIL - Eng. Agrónomo / Paisagista, nat. de Évora;

- EMANUEL PASCOAL FERNANDES GONÇALVES - Empresário, natural do Funchal MADEIRA;

e ainda;

- ANTÓNIO MANUEL ILHÉU MERCA - Empresário, natural das Alcáçovas;

- RICARDO JORGE CORREIA NÓBREGA - Empresário, natural de Stª. Cruz - MADEIRA.

 

Esta Comissão Fundadora tem por missão:

- Elaborar os ESTATUTOS;

- Elaborar a DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS;

      - Alargar essa Comissão, com convite a mais elementos, com os quais formarão a "COMISSÃO INSTALADORA", a qual terá por finalidade a oficialização e a instalação da "A.U.P.A.", com Base em Castelo Branco - Portugal, sob a responsabilidade do Elemento Fundador – CARLOS CALDEIRA DE VICTÓRIA PEREIRA, mantendo-se em actividade até à primeira Assembleia Geral, a realizar logo que estejam empossados os Comités Nacionais Provisórios.

Numa fase posterior a "A.U.P.A." deverá ser expandida a outras regiões de expressão portuguesa, nomeadamente, São Tomé e Príncipe, Brasil e a outros países onde existam colónias expressivas de emigrantes angolanos.

A Comissão Instaladora irá sendo alargada, por convite a várias personalidades, nomeadamente representativas das diferentes Associações de angolanos já existentes.

 

A seguir à constituição da Comissão Fundadora/Instaladora da A.U.P.A., o Eng. Manuel Maria Cordovil redigiu os primeiros Estatutos, que foram posteriormente revistos, rectificados e cuja forma final, com base no trabalho anteriormente efectuado, foi magistralmente reformulada pelo sempre disponível e mui competente advogado de Castelo Branco, Dr. Carlos Rodrigues Marques, (actual Presidente da Assembleia Geral da A.I.A.A.), Associação esta sucessora definitiva da A.U.P.A. (cujo nome foi preterido por se prestar a confusão com a sigla do Partido Político Angolano “U.P.A.”).

Depois de algum trabalho, muita vontade e decisão final, foi constituída em Toronto - CANADÁ, com a participação dos elementos da Comissão Fundadora da A.I.A.A. (e por consequência, os Fundadores da Associação) e dos elementos residentes em Toronto, Eng. Reginaldo Humberto Nunes de Melo, Arq. Carlos Mendes e o empresário angolano Rui da Silva, a FRINDS OF ANGOLA INTERNATIONAL INC., em Outubro de 2000, (correlacionada com a A.I.A.A., em parte dos seus objectivos) e, em 27/11/2000, foi então oficialmente constituída a “ASSOCIAÇÃO INTERNACIONAL AMIGOS DE ANGOLA”.

 

*Retroceder