6º Manifesto Publicado sob o titulo “APOIO AO RETORNO A ANGOLA“

 

 

MANIFESTO

DE

CARLOS CALDEIRA DE VICTÓRIA-PEREIRA

 

NO  APOIO  AO  RETORNO  A  ANGOLA

DOS  ANGOLANOS  NA  DIÁSPORA

COM  ABERTURA  DE  CRÉDITOS  INTERNOS

E  OUTROS APOIOS

 

Como “SUJEITO ANGOLANO”, que sou !, embora disponível a candidatar-me à Presidência da República de Angola nas próximas eleições, prometidas pelo Presidente da República JOSÉ EDUARDO DOS SANTOS, cumpre-me o dever e a obrigação, por incumbência da SOLIDARIEDADE, de concorrer apolítica e priva-damente no encontro de soluções e condições necessárias e suficientes para se diligenciar o RETORNO DOS ANGOLANOS (na Diáspora) às suas TERRAS de ORIGEM, na MÃE PÁTRIA.

 

Esse RETORNO, além de urgente, devidas a circunstâncias diversas, não se constitui em tarefa fácil e sem riscos, pois os RETORNADOS citados não podem ser simplesmente “despejados” em Angola, e aí serem entregues à sua “SORTE”.

 

Os RETORNADOS terão que chegar de facto a Angola, como pretendem fazê-lo, mas tendo ali apoios e garantias reais de SOBREVIVÊNCIA, com base na ESTABILIDADE e SEGURANÇA.

 

Os RETORNADOS devem ter, antes das suas partidas, as autorizações oficiais angolanas para esse efeito, como é óbvio.

Uma vez obtidas essas autorizações de RETORNO, os mesmos (alguns) devem ficar encaixados na FUNÇÃO PÚBLICA DE ANGOLA, e outros agrupamentos na FUNÇÃO PRIVADA, com apoios oficiais às suas iniciativas empresariais.

 

Procuramos, aqui e ali, demonstrar aos RETORNADOS PRETENDENTES e VOLUNTÁRIOS, que não poderão ficar alojados nos grandes aglomerados angolanos, como, por exemplo, Luanda e Benguela, onde actualmente as dificuldades são praticamente insuperáveis, no que respeita à acomodação e à falta de emprego, mas sim ocuparem lugares à disposição nas POVOAÇÕES, outrora comerciais / industriais; nas antigas SEDES DE CONCELHOS e POSTOS ADMINISTRATIVOS praticamente destruídos e abandonados, resultante dos CONFLITOS BÉLICOS, cujo FIM parece finalmente ter chegado.

 

Assim, cidades, vilas e povoações do INTERIOR ANGOLANO, para já, a Sul do Caminho de Ferro de Benguela, poderão ser RECUPERADAS, RECONSTRUÍDAS e REORGANIZADAS.

 

No entanto, continuamos a defender que o PROCESSO DO REGIME DOS POVOS REGIONAIS e TRADICIONAIS, em sua ocupação territorial, deverá ser da exclusiva responsabilidade e conveniência das suas AUTORIDADES CONSUETUDINÁRIAS.

 

O SIGNATÁRIO, com outros AMIGOS DE ANGOLA, de reconhecida idoneidade, pretendem assistir-se privadamente com quanto respeite ao transporte aéreo dos ditos RETORNADOS para Angola e seus BENS (acompanhados) também em transportes marítimos.

 

No entanto, a pedido informal desses RETORNADOS, solicita-mos ao GOVERNO DA REPÚBLICA DE ANGOLA uma ABERTURA NACIONAL DE CRÉDITOS INTERNOS, cujo valor, por unidade, não seja inferior ao equivalente, em moeda nacional, a cem mil dólares americanos, destinados à FUNÇÃO PRIVADA prevista.

Essas importâncias destinam-se à constituição de EMPRESAS em forma de SOCIEDADES, em nome COLECTIVO ou mesmo INDIVIDUAL; sua acomodação na região pretendida; e garantia de desenvolvimento empresarial, tudo isto internamente !

 

Há muito que o signatário e alguns AMIGOS DE ANGOLA esperavam este “bendito” RETORNO dos ANGOLANOS, à sua PÁTRIA, onde são necessários por todas as razões, pelo que registaram então em TORONTO, no Canadá, as Companhias Aéreas denominadas “AIR-VICTORIA” e “AIR VICTORIA EQUIPMEN-TS”, que passarão a ter SUCURSAIS na ILHA do SAL, desde que obtidas as autorizações necessárias do Governo de Cabo Verde.

Estas duas EMPRESAS estão às ordens do PROCESSO DE RETORNO DOS ANGOLANOS, essencialmente em PORTUGAL, e irão efectuar “VOOS CHARTERS” para e de Angola para os entrepostos do SAL, LISBOA, FARO e PORTO essencialmente.

 

Na cooperação económica a favor dos RETORNADOS, ainda pelo PROCESSO DE SOLIDARIEDADE, os “AMIGOS DE ANGOLA” espalhados por todo o Mundo, procurarão contribuir com tudo ao seu alcance para esse efeito.

 

Apraz-nos registar o BEM que a ASSOCIAÇÃO INTERNACIO-NAL AMIGOS DE ANGOLA (“A.I.A.A.”) tem demonstrado neste contexto do RETORNO DOS ANGOLANOS (na DIÁSPORA) à MÃE PÁTRIA.

BEM HAJAM, AMIGOS E IRMÃOS !

 

ANGOLA e os ANGOLANOS precisam do AUXÍLIO de TODOS nestas horas difíceis de RECONSTRUÇÃO e REORGANIZAÇÃO e daqui fazemos VOTOS SINCEROS que o GOVERNO e as INSTITUIÇÕES OFICIAIS ANGOLANAS e o seu “BOM POVO” possam prosperar em PAZ, SEGURANÇA, ESTABILIDADE e DIGNIDADE NACIONAL e INTERNACIONAL, no cumprimento ainda das REGRAS impostas pelos DIREITOS HUMANOS.

 

BEM HAJAM !

 

Mercês, 12 de Abril de 2002

 

O Signatário

 

 

 

_______________________________________

(Carlos Caldeira de Victória-Pereira)

“SUJEITO ANGOLANO”

 

 

*  Retroceder